Feeds:
Posts
Comentários

Será mesmo igual? (fonte: http://www.esmaltesdaana.com)

Eu esperei muito: 13 anos! Uma aluna minha de violino apareceu um dia com uma caixinha de Tic Tac sabor canela (importado), que comprou numa lojinha do bairro da Liberdade (São Paulo), contendo apenas 2 tic tacs dentro. Provei e fiquei doido pra comprar também. Fui até a tal lojinha, mas não havia mais.. e nunca mais encontrei em nenhuma loja de importados.

Recentemente, a única referência que achei foi um twitter chamado tictaccanela que na verdade era um fã pedindo à Ferrero para distribuir o produto também no Brasil.

Para minha incrível surpresa, encontrei finalmente o produto, batizado aqui de “Loucos por canela”.  A incrível vontade fez eu devorar a primeira caixinha e fazer um estoque de tantas outras. Até que eu percebi com calma que a coisa não era bem assim… O tal sabor de canela que recordo naquele de 13 anos atrás era bem mais permanente e gostoso. Notei que este, na verdade, é apenas o tic tac de menta coberto por uma finíssima camada de canela, que dura apenas 10 segundos (sim, 10 segundos, façam o teste!). O tic tac fica branquinho em instantes, e o sabor de canela vai-se embora.
Então Ferrero, bola fora de vocês. Esperei um monte pra agora ter certeza que jamais haverá um tic tac de canela mesmo por aqui como o que imaginei haver.

Pedindo água

Esta eu peguei lá no Contraditorium, neste artigo.

É realmente chocante ver este tipo de coisa acontecendo. Resumidamente, o Senado contratou o serviço de exibição de um banner de menos de 200 pixels por 48 mil reais mensais, por um ano. Posteriormente, as informações foram alteradas, tirando-se o termo que dava a entender que o contrato era mensal

A mídia e seu papel

mídia de mãos dadas com a "política"

Existe em curso uma séria discussão sobre a imprensa e seu papel perante um processo eleitoral. É um assunto muito sério que envolve uma disputa de poderes seculares em âmbitos distintos, onde cada um deseja manter seu meio de poder. No Brasil, a chamada grande (ou velha) mídia claramente apoia os candidatos de direita, que grosseiramente falando são representados hoje por partidos como PSDB, DEM e facções do PMDB, fora vários outros dissipados em partidos menores. No passado, eles apoiaram a ditadura militar no Brasil, representaram os interesses dos coronéis, participaram da política do café com leite, estavam no senado imperial. Não me surpreenderia se ao voltar na árvore genealógica da história do Brasil, não se ache antepassados dos atuais dentre os donos das capitanias hereditárias (acho que já escrevi isto em outro post).
Regionalmente, é fácil perceber a relação de controle através do controle da mídia local em pleno século XXI: candidatos à reeleição ao Senado em seus estados, Agripino Maia (RN) e Tasso Jereissati (CE) e candidatos ao governo de seus estados, assim como Fernando Collor (AL) e Roseana Sarney (MA) são proprietários de emissoras de televisão (e em consequência outras mídias no pacote dos “grupos”) e as utilizam para levar alguma vantagem nas eleições. Ainda existem outros casos em que o candidato em questão é amigo de outro político que é dono de emissora de TV (5 minutos de pesquisa no Google bastam para se achar).
Seja desqualificando os adversários quanto enaltecendo a si próprios, esta é uma prática que perpetuou e ainda perpetua em muitos estados do Norte e Nordeste as mesmas famílias de políticos em várias e várias gerações no poder. Fica até difícil separar o público do privado, afinal em tempos mais antigos e extremamente menos fiscalizados, era muito mais fácil governar em causa própria e se auto-favorecer nos negócios (fazer a rodovia/ferrovia passar pela fazenda, por exemplo).
Celeiro da desigualdade social, nestes estados predomina a péssima distribuição de renda, focos crônicos de miséria, fome, analfabetismo, péssimas condições de segurança e saúde, e tantas características que o país gostaria de ver varridas da realidade.

...em várias épocas...

Em âmbito nacional, grandes grupos (sabidamente Abril, Estadão, Globo e Folha de SP) atuam de forma dissimulada, fingindo que são imparciais, mas apoiando descaradamente seus candidatos com denúncias sem provas, como uma metralhadora que a todo o custo tenta manter “supostos escândalos” um após outro.

O mundo está mudando rapidamente com a internet (que também foi alvo de controle por sugestão da lei não aprovada de autoria do Senador do PSDB-MG Eduardo Azeredo, depois conhecida como AI-5 digital). Através da rede, existe uma liberdade maior das pessoas opinarem, colherem notícias diretamente de pessoas com credibilidade, que executam o dito bom jornalismo ou o jornalismo de isenção, ou ainda, que seja de menor partido em relação a um dos lados. Esta competitividade, aliada ao aumento de usuários de internet do país, fizeram – num prazo tão curto quanto a visão dos detentores da velha mídia – que o poder de manipulação que antes possuíam fosse extremamente limitado. Com competição e com a democracia da informação, é possível equilibrar essa queda de braço. As pessoas estão sendo cada vez mais capazes de perceber que não existe um lado certo e outro errado, mas cada vez mais entendem que existem interesses maiores ou menores, nocivos ou benignos, exclusivistas ou igualitários.

Obrigado, Dell

Mais fácil do que pensei...

A Dell, conhecida empresa de computadores, prestou um grande serviço a mim hoje.
Eu tenho um notebook Inspiron 1525, adquirido há cerca de 1 ano e 4 meses. Após o encerramento da garantia de 1 ano, a “tampa” começou a apresentar problemas, que culminaram ontem num travamento mecânico, com grandes possibilidades de quebra da tela no caso de eu tentar forçar o fechamento. Em primeiro lugar me ocorreu levar numa oficina especializada em notebooks, mas a resposta do técnico (um bom técnico, já usei os serviços da oficina antes em outro equipamento) é de que este tipo de problema seria melhor resolver com o suporte da própria Dell, pois mexe com peças plásticas que ele não teria, enfim, o negócio dele seria consertar problemas mais complicados que o meu.
Liguei no suporte da Dell, e após meia hora e algumas transferências, acabei descobrindo que o valor para o conserto seria de R$ 977,50. (Um novo igual ao meu custa hoje cerca de R$ 1.900,00).
Agradeci e desliguei. Comecei a pensar o que seria o melhor fazer. O computador é ferramenta de trabalho, não tinha como ficar sem.
Pois a Dell me estimulou ao óbvio. Apesar de ter a formação de técnico em eletrônica, meu ápice em termos de equipamentos saiu de uma fase de limpar cabeçotes de vídeo-cassetes para manutenção na adolescência para computadores e impressoras nos fins dos anos 80. Eventualmente eu conheço de forma razoável computadores desktop. Ainda assim, nunca tinha me metido a desmontar notebooks, pois requerem um cuidado adicional… até hoje…
Achei em 10 minutos um manual completo de desmontagem e montagem do meu modelo e vários vídeos no youtube que mostram em detalhes como fazer diversas cirurgias desta magnitude.
Em 2 horas, após estudar detalhadamente o manual e tomando um extremíssimo cuidado (mas que numa segunda vez levaria apenas meia hora), meu problema estava totalmente resolvido. Sem precisar de peça alguma.
Ao aplicar um valor descabido e arbitrário (pois é um valor que se aplicaria a qualquer que fosse o problema, acrescido das peças que fossem necessárias), a Dell demonstra uma estrutura falha no sentido de promover o reparo simples de seus produtos. No meu caso, culminou numa solução própria que demonstrou o quanto absurdo foi a proposta do suporte técnico. Preferem jogar o valor lá no alto em sinal de descaso.
Acho que vou começar a consertar notebooks nas horas vagas. Se existe mercado pra preços que fossem metade destes, eu já me daria muito bem.

eu clico pouco em banners, mas este me chamou a atenção, pois certa vez eu fiz um aplicativo que media o IMC (índice de massa corpórea) e queria dar uma olhada se andaram fazendo algo interessante por aí. Assim, eu cheguei ao site do Cyberdiet, coloquei meus dados e vi que havia algo de errado. Meus avançados conhecimentos de IMC lembram que 25 é o número mágico antes do qual você está bem e acima dele você passa a ter a necessidade de emagrecer.
Pois bem, o meu resultou em 23.52 (abaixo, portanto), a régua da ilustração de fato mostra que estou no peso normal. Entretanto eu ganhei uma sugestão de peso ideal com 2kg a menos do que tenho, o que eu acho louvável.
Aparentemente tem até um programa de redução de peso que vai me ajudar a chegar lá em apenas 2 semanas. Uau!

Mas a mensagem logo abaixo dizendo que eu estou na faixa de peso classificada como obesidade, que eu suponho ser um erro do aplicativo, é um daqueles erros que poderia acabar com a auto-estima de muita gente que bota o coração na balança toda vez que vai se pesar.

Tente você mesmo, e veja se você também é obeso sem ser. #fail para você, Cyberdiet.

O dia do touro

Eu juro que tento me colocar no lugar da mente de uma pessoa que pratica esportes com animais. Realmente não consigo, transcende a minha capacidade humana de abstração. Tampouco consigo chegar nas pessoas que assistem e festejam estes eventos.
Atrocidades à parte, a verdade é que este toureiro querido na Espanha vai ficar com cicatrizes. Já o touro provavelmente já deve estar morto com essa quantidade de espadas enfiadas.


O ser humano possui em sua essência um gosto natural pelo lúdico, pela diversão. E sinceramente existem tantas formas muito mais interessantes de se divertir sem estes exemplos grotescos e medievais.
Rinhas de galo, vaquejadas, rodeios, touradas, circo. Dá pra enxergar algo de feliz para os animais?