Feeds:
Posts
Comentários

Archive for novembro \27\UTC 2008

Agradecimento

O TheBOBs 2008 está chegando ao final e quero aqui publicamente expressar um obrigado maior que minha tolerância tem sido pra falar de tantos assuntos que nos incomodam. A votação popular terminou, e Tolerando ficou num honroso sexto lugar, com muito orgulho. Fui o concorrente com menos tempo de blog e fiquei bem no meio dos 11 concorrentes na votação: 5 acima e 5 abaixo.

Comecei a escrever sem nenhuma divulgação em abril deste ano, e quando o abri publicamente em agosto, foi apenas coisa de 40 dias até me inscrever no concurso de blogs, ser indicado e ver minha audiência crescer incrivelmente de 3 pessoas por dia em média pra mais de 130. Não poderia ser melhor!

Confesso que isso me impulsionou a escrever mais, embora não com a frequência que eu gostaria. Já recebi algumas propostas de colocar meu blog em outros lugares, escrevo alguns posts em parceria com outros blogs de assuntos afins, e vejo que continuarei aqui por muito tempo escancarando aquilo que muitos não toleram.

Hoje à tarde, 17h de Brasília, 16h de Fortaleza, 20h de Berlim (local do evento) haverá a transmissão da premiação do júri (ou seja, ainda estou num outro páreo). Haverá uma transmissão ao vivo em vídeo ou via blog aqui. Prometo publicar o resultado final logo após.

Obrigado a todos, de coração.

Update: a vitória da categoria pelo júri (e também a popular) foi para o Blog Querido Leitor, parabéns.

Read Full Post »

Com crase mesmo… leiam e entendam a razão.

A abertura de embalagens é algo que com o tempo foi sendo aperfeiçoada, mas é fácil ver que muitos produtos  ainda estão longe de um bom padrão de usabilidade. Alguns casos de dificuldade são clássicos: embalagens tetrapak de leite longa vida (mesmo quando têm a lingueta de plástico), bolachas e biscoitos (alguns fitilhos funcionam… outros, nem tanto…) e muitos outros casos: tampas que não abrem, materiais cortantes demais, picotes que não picotam, vedação posterior comprometida, quando aplicável, etc..

Eu me deparei com uma situação inusitada esta semana, já que não costumo ter problemas: o café a vácuo, da marca União Pilão. Não compro sempre café, mas lembro de ter tido um razoável sucesso nas vezes anteriores, ao menos de seguir a ilustração e conseguir abrir sem usar nenhum utensílio, ainda que o resultado final seja meio difícil de não fazer sujeira. Desta vez, entretanto, somente com uma tesoura (e posteriormente com uma faca) que foi possível acessar o nobre produto. O resultado está na foto.

dsc00579

Preocupa o perigo que uma pessoa menos habilitada possa correr com outros objetos para abrir a embalagem. Vamos facilitar, União, pra não termos que fazer à força?

Read Full Post »

pedofilia1Parece incrível. Eu mal falei no post abaixo sobre as indexações fazendo algo que é indesejado, pra ter logo que me contrariar e falar sobre algo interessante que achei de algo muito desejado.
Na Espanha, o blog La Huella Digital (que venceu o mesmo The BOBs em 2006, ao qual concorro agora) descobriu que ao usar os termos pornografia+infantil como tags de um post no blog, aumentava muito a visitação, ainda que as idéias fossem contrárias a este assunto. Daí veio uma idéia no dia mundial das crianças, que foi dia 20 de Novembro, de vários blogs aderirem a esta campanha, que nada mais é que a publicação de um post claro, justamente sendo contrário à pedofilia e com várias tags que as buscas identifiquem como se fosse algo diretamente relacionado. O objetivo é “mostrar a quem tem interesse por esse tipo de material que eles estão procurando uma coisa ruim e errada”. Esses seriam os pedófilos amadores, na visão do blogueiro do La Huella.

Como uma ótima referência importante do blog Falando Direito, pesco o seguinte:

“No Brasil, por causa da falta de leis sobre pedofilia, a posse desse material não configura crime. Mesmo atrasado juridicamente, o país está entre os pioneiros na fiscalização, denúncia de conteúdo impróprio e articulação entre sociedade civil e Ministério Público. Entre 25 e 28 de novembro, o Rio de Janeiro sediará o III Congresso Mundial de Combate à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, que acontece pela primeira vez fora dos países desenvolvidos.”

E do mesmo blog:

Mobilização

Enquanto a polícia persegue os agressores profissionais, a blogosfera decidiu se unir hoje para bombardear os navegadores de quem consome esse tipo de imagens com uma mensagem contra a pedofilia. Entre 20 de outubro e ontem, a campanha “Pornografia Infantil Não” havia recrutado mais de 940 blogs escritos em oito idiomas, incluindo o português, e já contava com mais de 22 mil posts no sistema GoogleSearch condenando a busca, posse, produção e distribuição de imagens pornográficas envolvendo crianças e adolescentes. Os textos utilizam ainda outras palavras-chaves favoritas de quem tenta conseguir esse tipo de material, como “angels”, “boyboy”, “lolitas”, “fetishboy” e “preteens”.

O jornalista de la Fuente foi responsável por iniciar a campanha, mas a viralização da idéia ficou a cargo de voluntários espontâneos do mundo todo, que traduziram o cartaz virtual, publicaram vídeos no YouTube e inclusive criaram um grupo na rede social Facebook, hoje com mais de 3.400 membros. “Eu nem conheço quem fez isso. Pensava que teria uma repercussão pequena, mas a resposta foi dez vezes maior do que imaginei”, afirma.

Para participar da campanha, basta escrever um texto contra a pornografia infantil e publicá-lo em seu blog preenchendo, no campo de tags, os termos “pornografia infantil não”, “angels”, “lolitas”, “boylover”, “preteens”, “girllover”, “childlover”, “pedoboy”, “boyboy”, “fetishboy” ou “feet boy”. Quem quiser incluir o blog na lista oficial de participantes precisa deixar um comentário neste post com o endereço virtual. Por Ana Carolina Moreno. De La Coruña, Espanha.

É isso aí, vamos embaralhar os pedófilos: pornografia infantil: não!

Update 26/11/08: uau, olhem que interessante, parece que as coisas estão melhorando, eu nem sabia que tinha uma lei a ser votada.

Read Full Post »

Google carnívoro

Ou… a vingança do sistema

Eu tento levar minha vida de semi-vegetariano tranquilamente, tanto que fiz uma brincadeira na minha página da rede social Orkut onde nos meus dados pessoais eu posso falar das comidas que tenho preferência. Assim eu coloquei o seguinte:

cozinhas:

SIM: ovo-lacto-piscio-crustáceo-vegetariano

NÃO: suíno-bovino-franguino-palmitino-champignonino

orkut-publicidade-inicio_1227534579483Qual não foi minha surpresa ao ver que o Orkut inaugurou recentemente uma área de publicidade na página inicial de cada usuário, que segue as regras contextuais de todas as propagandas dos produtos Google? (ou seja, identificam palavras-chave na página e relacionam uma propaganda associada) Agora eu que não como carne fico aguentando toda vez estas propagandas de bovinocultura e afins… ninguém merece.

Será que a Web Semântica irá resolver este tipo de problema?

Read Full Post »

A fila anda?

filaPior que não anda…

Tarde da noite fui passar num grande supermercado daqui onde vivo em Fortaleza, da rede Hiper, o Bom Preço da Avenida Eng. Santana Júnior, para comprar meros pãezinhos. Aqueles que em São Paulo são franceses, mas que aqui são carioquinhas.
Já não seria surpresa que haveria uma certa fila grande para passar no caixa, daquelas para quem traz poucos produtos. O que não foi interessante é que dos três caixas atendendo esta grande fila, dois estavam parados, eventualmente fechando o caixa ou fazendo alguma outra coisa. Resultado, a fila não andava de forma alguma. A irritação de todos na fila foi crescendo e nenhuma atitude foi tomada, claro, até que ficou tão insuportável que alguém foi reclamar com a gerente e só daí, 32 minutos depois de entrar na fila que finalmente fui atendido pela providência da própria gerente de assumir um caixa.

O que é triste é que certas situações só são resolvidas pelo uso da força e do temperamento de pessoas que têm este ímpeto de reclamar por seus direitos, o que nem sempre acontece. Mas o pior mesmo é a recorrência: adivinhem se eu volto lá?

” Eu sou o homem que vai a um restaurante, senta-se à mesa e pacientemente espera, enquanto o garçom faz tudo, menos o meu pedido.
Eu sou o homem que vai a uma loja e espera calado, enquanto os vendedores terminam suas conversas particulares.
Eu sou o homem que entra num posto de gasolina e nunca toca a buzina, mas espera pacientemente que o empregado termine a leitura do seu jornal.
Eu sou o homem que, quando entra num estabelecimento comercial, parece estar pedindo um favor, ansiando por um sorriso ou esperando apenas ser notado.
Eu sou o homem que entra num banco e aguarda tranqüilamente que as recepcionistas e os caixas terminem de conversar com seus amigos, e espera.
Eu sou o homem que explica sua desesperada e imediata necessidade de uma peça, mas não reclama pacientemente enquanto os funcionários trocam idéias entre si ou, simplesmente abaixam a cabeça e fingem não me ver.
Você deve estar pensando que sou uma pessoa quieta, paciente, do tipo que nunca cria problemas. Engana-se. Sabe quem eu sou???
EU SOU O CLIENTE QUE NUNCA MAIS VOLTA !!!
Divirto-me vendo milhões sendo gastos todos os anos em anúncios de toda ordem, para levar-me de novo à sua firma.
Quando fui lá, pela primeira vez, tudo o que deviam ter feito era apenas a pequena gentileza, tão barata, de me enviar um pouco mais de CORTESIA”.
“CLIENTES PODEM DEMITIR TODOS DE UMA EMPRESA, DO ALTO EXECUTIVO PARA BAIXO, SIMPLESMENTE GASTANDO SEU DINHEIRO EM ALGUM OUTRO LUGAR.”
SAM WALTON – Fundador da Wal-Mart, a maior rede de varejo do Mundo .

Vale lembrar, a rede Hiper foi comprada justamente… pelo Wal-Mart…

Read Full Post »

Eu estranhei que o bombom Sonho de Valsa (da Kraft Foods que comprou a Lacta) não trazia em sua embalagem as informações nutricionais que são obrigatórias. É assim há muito tempo, mas nunca tinha parado pra pensar a razão disso. Daí lembrei de uma época que queria ver as calorias de um chocolate (não que eu precisasse) e tinha uma instrução para ler as informações nutricionais no site da Kraft, com o endereço. Isto depois mudou, os chocolates voltaram a ter a tabela nutricional, possivelmente deve ter violado alguma lei e tiveram que voltar atrás. Voltando ao bombom: eu resolvi entrar no site e perguntar pelo “Fale Conosco” a razão dessa ausência. Alguns dias depois, recebi este simpático e-mail:

Olá Savio,

Antes de mais nada agradecemos seu contato. É muito bom atendê-lo.

Por determinação dos Órgãos competentes (M. da Agricultura e Saúde),
as embalagens com dimensões menores de 100 cm², não tem a
obrigatoriedade de trazer a tabela nutricional impressa.

Segue abaixo a Tabela Nutricional do bombom Sonho de Valsa:
Informação Nutricional
Porção de: 21,5g (1 unidade)
                                     Quantidade por porção   *VD%

 Valor Energético      113 kcal = 471 kJ                      6 
 Carboidratos                      13g                        4 
  dos quais açúcares               10g                        ** 
 Proteínas                         1,3                         2 
 Gorduras totais                    6,2g                      11
 Gorduras saturadas                3,2g                       15 
 Gorduras trans                     0g                        ** 
 Fibra alimentar                    0g                        0 
 Sódio                             36mg                       2

(*) % Valores Diários de Referência com base em uma dieta de 2.000
kcal ou 8400 kJ. Seus valores diários podem ser maiores ou menores,
dependendo de suas necessidades energéticas.
(**) Valores Diários de Referência não estabelecidos. 

Desejando outras informações, entre em contato conosco.

0800-7041940 (ligação gratuita)

Um abraço,

Sak - Serviço de Atendimento Kraft

O fato é que eu de imediato pensei, “poxa, que coisa, estão respaldados pela lei e tudo mais, ponto pra eles”.

Daí me ocorreu uma coisa meio óbvia: 100cm² deveriam dar numa embalagem de 10cm por 10cm, e fiquei cismado que poderia ser maior.

Bem, resultado é que hoje, uns meses depois disso, eu tive a coincidência de comer um Sonho de Valsa e ter uma régua por perto. A embalagem possui as dimensões 12,5cm por 13,5cm, o que dá um total de 168,75cm². Bem acima, portanto do limite estabelecido.

dsc00557

E agora? Vou mandar um e-mail de volta explicando isso e prometo publicar aqui as cenas dos próximos capítulos.

PS: nada contra o bombom em si, tanto que eu o consumo, embora minha preferência descarada é o Serenata de Amor, da Garoto, que é com castanha de caju e não com amendoim.

UPDATE em 17/11/2008:

Dois fatos que soube depois de publicar isto (enquanto ainda aguardo o e-mail da Kraft):

1) Meu amigo Dalton atentou que a legislação da ANVISA usa a expressão “superfície visível para rotulagem”, o que pode de alguma forma pesar na possibilidade da área a ser considerada ser realmente menor que 100cm² (e não calculada pelos meus rudimentares conhecimentos de base vezes altura, mas algo como 4πR² somado à área da barbatana do embrulho que é feito, um tanto subjetivo).

2) Consumi ontem um Serenata de Amor, mas sem uma régua por perto. Dá a impressão de ser um pouco menor, mas também acima das medidas. Entretanto, as informações nutricionais estão todas lá, em minúsculas, porém legíveis letras. Ou seja… é mais uma questão de boa vontade e manter as pessoas informadas do que de cumprir a lei, não é?

Read Full Post »

closeup

Existem alguns aspectos da globalização que as empresas acabam não parando pra pensar direito. Esta embalagem de uma pasta de dente da Close-up (Unilever), por exemplo, aparenta ser prioritariamente para o português (já que tem até essa campanha com acesso ao site .com.br), mas na hora por exemplo de dar as informações dos ingredientes, estes aparecem apenas em espanhol e inglês. Tá certo isso? Não que eu tivesse um interesse específico no Sorbitol ou no Laurilsulfato de Sódio, eu só fiz um ano de Engenharia Química, mas como consumidor de um produto vendido no Brasil, eu não tinha este direito? 

É evidente que os custos de impressão devem baratear mas será que a impressão do consumidor, ainda que de forma subliminar não acaba se voltando contra a empresa? Tem shampoos e sabonetes onde realmente fica difícil entender quando se está falando com brasileiros ou argentinos, principalmente quando as palavras em português e espanhol são parecidas.

Tem um case famoso de uma companhia aérea que economizou uma quantia considerável em um ano ao tirar uma azeitona de cada prato de salada em suas refeições a bordo. Alguém perguntou se os passageiros preferiram assim?

Read Full Post »

Older Posts »